Siga-nos  
                                                       Cidadão SP    /governosp    Dúvidas Frequentes


“A CARNE DE PEIXE PODE SER A LÍDER DAS PROTEÍNAS ANIMAIS NO BRASIL E NO MUNDO”, DIZ TEJON

Uma das maiores referências no agronegócio brasileiro, Tejon será um dos palestrantes do evento paulista de aquicultura.


Assim com aconteceu – e acontece -, com a avicultura, a carne de peixe tem potencial para um dar um importante salto nos próximos anos, até mesmo podendo liderar o mercado de proteína animal no Brasil e no mundo. Esta é a opinião do Professor, Doutor e colunista de Agro, José Luiz Tejon Megido. Ele é um dos palestrantes da 11ª Aquishow Brasil. No dia 24 de maio, a partir das 11h30,  ele vai falar sobre “Caminhos da proteína aquática para consolidação do Brasil como um grande Player do pescado”. Além de abrir a programação da 11ª Aquishow Brasil, ele marca presença, na sequência, no estande da Phibro Animal Health Corporation, que é sua parceira.


A 11ª Aquishow Brasil será realizada entre os dias 23 e 27 de maio no Centro Avançado de Pesquisa e Desenvolvimento do Pescado Continental, do IP-APTA (Instituto de Pesca), em São José do Rio Preto (SP).

"Somos essencialmente importadores, mas temos condições de conquistar mais espaço internacional"


- Temos uma bela jornada pela frente para que os "frutos das águas", como costumo chamar, transformem-se na principal fonte de proteína da humanidade. O Brasil tem um potencial incrível para essa transformação - opina Tejon.


O palestrante lembra que, nos anos 1980, o consumo de aves era baixo no mercado brasileiro, representando menos de 10 quilos per capita ao ano. Porém, foi realizado um trabalho sistêmico, envolvendo conhecimento, tecnologia e comunicação, para dar escalabilidade ao produto. Quarenta anos depois, a carne de frango corresponde a aproximadamente 45 quilos per capita ao ano.


- As pessoas só costumavam comer frango no domingo, com macarrão. Hoje, é um dos principais alimentos do brasileiro no dia a dia.


Ele acredita que seja possível trilhar caminho semelhante com os peixes de cultivo, como a tilápia. Não à toa, a espécie é apelidada de "frango da água". Para isso, é necessário reunir diferentes agentes da cadeia produtiva para otimizar a gestão e o planejamento estratégico do setor de pescados. Uma das formas de se fazer isso é por meio de eventos, como a Aquishow Brasil.


- Fiz uma pesquisa em São Paulo e percebi que os peixes têm um importante ativo mental a seu favor: a maioria das pessoas o considera a proteína animal mais saudável de todas. Então, o que falta é investir em educação, comunicação e distribuição do produto, a fim de democratizar o acesso à mesa do brasileiro em todas as camadas sociais. Por que não investir em uma maquineta giratória que assa a tilápia nas padarias? - sugere.


Para fortalecer ainda mais o desenvolvimento dos pescados no mercado interno, Tejon também defende que seja necessário investir no mercado externo.


- Somos essencialmente importadores, mas temos condições de conquistar mais espaço internacional. As ações de exportações são muito positivas para a imagem do produto dentro do país. É hora de as grandes marcas saírem para vender seu peixe.

Tilapicultura

O cultivo de tilápia é relativamente novo no Brasil. A espécie foi introduzida no mercado brasileiro nos anos 1970, mas sua criação para fins econômicos e industriais somente teve início na década de 1990.

De acordo com levantamento da Associação Brasileira da Piscicultura (PeixeBR), divulgado recentemente, o Brasil produziu 841.005 toneladas de peixes de cultivo em 2021, o que representa um aumento de 4,7% sobre a produção de 2020 (802.930 t) e um crescimento acumulado de 45% desde 2004 (578.800 t).


Boa parte desses números é proveniente da tilapicultura: 63,5%. Ainda segundo a PeixeBR, em 2021, foram produzidas 534.005 toneladas desse tipo de peixe no País, que corresponde a um aumento de 9,8% sobre o desempenho do ano anterior (486.155 t).


Perfil

José Luiz Tejon Megido é uma das principais referências do agribusiness brasileiro.

Seus títulos acadêmicos são inúmeros: jornalista e publicitário, pela Cásper Líbero; mestre em Educação, Arte e História da Cultura, pelo Mackenzie; e doutor em Educação, pela UDE (Universidad de la Empresa), no Uruguai.


Também é administrador com ênfase em marketing e liderança, com especializações em Harvard, Pace University e MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), nos Estados Unidos,


e no INSEAD (Instituto Europeu de Administração de Empresas), na França.


Atua como sócio-diretor da Biomarketing e coordenador do Agribusiness Center, da FECAP (Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado), e do Master Science FAM (Food & Agribusiness Management), da Audencia Business School de Nantes – França / Brasil.


É, ainda, conferencista internacional, consultor, conselheiro, professor universitário, articulista, comentarista e escritor, com mais de 35 livros publicados, inclusive os best-sellers sobre superação "Guerreiros Não Nascem Prontos" (Editora Gente, 2016) e "O Poder do Incômodo" (Editora Gente, 2021).

Aquishow Brasil        

A Aquishow Brasil chega à sua 11ª edição e será realizada pela primeira vez em São José do Rio Preto (SP). Anteriormente, o evento era feito em Santa Fé do Sul (SP), mas, devido à expansão do setor e ao crescimento da própria Aquishow, a mudança de sede para uma cidade com mais infraestrutura foi necessária.


Além de atividades técnico-comerciais, como palestras e minicursos, o público poderá conferir 91 estandes, uma represa de 5 mil metros quadrados e um showroom, de mais de um hectare, com dezenas de viveiros escavados, revestidos e de terra. São esperados cerca de 5 mil visitantes, vindos de diferentes regiões do Brasil e até mesmo do exterior.


A Aquishow Brasil é realizada pela PeixeSP (Associação de Piscicultores em Águas Paulistas e da União). Também participam como coorganizadores a Prefeitura de Rio Preto, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento; e o Governo do Estado de São Paulo, por meio do IP (Instituto de Pesca), vinculado à APTA (Agência Paulista de Tecnologias do Agronegócio), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. O evento ainda conta com o apoio da ACIRP (Associação Comercial e Empresarial de Rio Preto) e do Governo Federal, por meio do MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento).


Os ingressos já podem ser adquiridos pelo site da feira. Interessados podem adquirir pacotes ou entradas avulsas, conforme as atividades escolhidas. 


Fonte: Aquaculture Brasil

14 abril 2022

https://www.aquaculturebrasil.com/noticia/326/%E2%80%9Ca-carne-de-peixe-pode-ser-a-lider-das-proteinas-animais-no-brasil-e-no-mundo%E2%80%9D,-diz-tejon


APTA completa 21 anos de coordenação da pesquisa agropecuária em São Paulo