Siga-nos  
                                                       Cidadão SP    /governosp    Dúvidas Frequentes
Aproveitamento do resíduo de pescado

Atualmente, o aproveitamento do resíduo gerado a partir do processamento de pescado se configura como uma oportunidade de desenvolvimento de novos produtos pela indústria pesqueira. E para demonstrar sua viabilidade, o Instituto de Pesca (IP-APTA), órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, realiza nos dias 10 e 11 de outubro, na capital paulista, o minicurso “Aproveitamento de Resíduos da Indústria do Pescado”, o qual compõe a programação do VIII Simpósio de Controle de Qualidade do Pescado (SIMCOPE).

O minicurso, ministrado pelo Dr. Thiago Barbosa Cahú, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), abordará a viabilidade da produção de subprodutos passíveis de aproveitamento pela indústria, os métodos de tratamento de tais resíduos e os processos que podem ser empregados ao pescado, além do potencial de aplicação de moléculas bioativas, como proteínas, polissacarídeos e pigmentos, no setor de aquicultura e nos demais segmentos industriais.

De acordo Thiago, o reaproveitamento de resíduos do pescado atualmente desperta o interesse de pesquisadores e produtores que buscam maneiras de fabricar subprodutos a partir de rejeitos e descartes da indústria pesqueira.

“Com o desenvolvimento da aquicultura e da demanda alimentícia por pescado processado, a comunidade científica e os produtores têm se interessado em reaproveitar os resíduos deste processamento da forma mais eficaz possível. Os componentes retirados do pescado e que são comumente descartados, podem ser aplicados desde a indústria de rações – com a substituição da farinha de peixe, por exemplo, até a farmacêutica, em usos mais refinados, como em dispositivos biomédicos ou fármacos”, explica Cahú.

“Esta é uma atividade economicamente viável, pois sua extração se baseia em processos de baixo custo, que podem incrementar o aproveitamento dos recursos do setor pesqueiro”, conclui o especialista.

Para participar do minicurso, os interessados devem estar inscritos no VIII SIMCOPE e reservar seu lugar por meio do site oficial do evento. As vagas para o minicurso são limitadas e o valor de investimento é de R$ 250,00.

 

Fonte: Portal Agro Revenda, Set/2018 (https://agrorevenda.com.br)

Para acessar a notícia clique aqui

RN: estudos da Embrapa Meio Ambiente estão no Aquaciência 2018