Siga-nos  
                                                       Cidadão SP    /governosp    Dúvidas Frequentes
Museu de Pesca é opção barata para curtir Santos durante o inverno

Como entreter a criançada em dias frios por apenas R$ 2,50? O Museu de Pesca e o impressionante esqueleto de uma baleia, com 20 metros de cumprimento, são a pedida certa!

 

Conta a lenda que o fantasma de um capitão protege o casarão do Museu de Pesca, que fica em Santos, no litoral de São Paulo, há mais de 60 anos. De onde surgiu a lenda, não se sabe, porém, o conto é utilizado para impressionar a garotada que visita a atração em busca do quarto do pirata, que tem um gato empalhado que mia toda vez que uma criança entra no cômodo. Com um leme, mapas, cama e objetos pessoais de um capitão, o ambiente simula um barco e tenta disputar como a atração favorita dos pequenos, entre as diversas exposições que compõem o acervo.

O museu pertence ao Instituo de Pesca de Santos, da Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo. Como museu, ele existe desde 1950, porém, em meados de 1700 foi construído como o Forte Augusto, em seguida transformou-se em uma escola de aprendizes de marinheiros. O imóvel fica na Ponta da Praia, em Santos, e só o visual já valeria a visita. Segundo a pesquisadora do Instituto de Pesca e diretora do museu, Thaís Moron Machado, a principal função do equipamento é promover a educação ambiental: "Queremos mostrar à população a importância da vida marinha e continental, pescados de água do mar e doce e, também usar o museu como um local para expor os resultados das pesquisas que fazemos no Instituto", diz.

A diretora ressalta as principais atrações do museu, que está em fase de reorganização do acervo já existente. A visita começa pela sala dos tubarões, com diversas espécies taxidermizadas. "A sala tem várias espécies de tubarões, todos animais que eram vivos e depois que morreram foram doados para o museu e passaram pelo processo de taxidermia, quando os órgãos são retirados e ele é preenchido por plástico bolha. Antigamente era preenchido com serragem, mas tínhamos problemas com cupim", explica Thaís.

A atração reúne diversas curiosidades; por exemplo, quem visitou o famoso Aquário de Santos na infância, se lembra dos carismáticos Macaé e Macaézinho, respectivamente leão e lobo marinho. Ambos foram taxidermizados e fazem parte do acervo do Museu de Pesca. Além dos animais taxidermizados, há ossadas de diversas espécies, assim como exposição de conchas e areias de várias partes do Brasil e do mundo. O museu conta, inclusive, com o protótipo de um submarino e uma área lúdica em forma de cenário que representa os quatro ecossistemas marinhos do litoral paulista (manguezal, praia arenosa, costão rochoso e fundo do mar).

A Raia Manta de 4,40 metros exposta na entrada do museu e a Lula Gigante, que tem cinco metros de comprimento e pesa 91 quilos, sendo a única em exposição no mundo, até tentam disputar com a atração principal: a ossada de uma baleia com cerca de 20 metros de comprimento. São 193 ossos quem somam sete toneladas. "O museu abriu as portas em 1950 com a nossa principal atração, a ossada de baleia. Em 1942 ela foi encontrada encalhada em Peruíbe, provavelmente se perdeu e encalhou por lá; ela foi montada por um pesquisador de Campinas e veio para o nosso espaço. No começo ela ficava em ripas de madeira, hoje ela é presa por vigas de aço", explica a diretora do museu.

 

Serviço

O Museu de Pesca fica na Avenida Bartolomeu de Gusmão, 192, na Ponta da Praia, em Santos. Funciona de quarta à domingo, das 10h às 18h. Os ingressos custam R$ 2,50 para estudante e R$ 5,00 inteira. Crianças até seis anos e adultos acima de 60 não pagam a entrada.

 

Fonte: UOL - Guia do Litoral, Ago/2017 (http://www2.uol.com.br/guiadolitoral)
Para acessar a notícia clique aqui
Pesquisa aponta potencial de espécie de lambari para isca viva