Siga-nos  
                                                       Cidadão SP    /governosp    Dúvidas Frequentes
Sociedade Mundial de Aquicultura será presidida por ex-pesquisadora do Instituto de Pesca

A pesquisadora e docente da Universidade Estadual Paulista (Unesp), Maria Célia Portella, foi eleita para ocupar a presidência da World Aquaculture Society (WAS) – Sociedade Mundial de Aquicultura, em tradução livre -, uma das mais importantes organizações do setor. O resultado da eleição de Maria Célia, que atuou no Instituto de Pesca (IP-Apta) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo entre os anos de 1986 e 2004, foi divulgado no dia 14 de maio de 2017. Ela toma posse em 1º de julho, durante o Congresso World Aquaculture 2017, na Cidade do Cabo, na África do Sul.

“Nesse primeiro ano, enquanto exercerei a função de Presidente-Eleito, antes de ascender à Presidente (que ocorrerá em 2018), quero me dedicar à aproximação do setor produtivo, tendo contato com as associações que representam os aquicultores. Tenho mais de 30 anos de carreira dedicada à pesquisa, o que me proporcionou um conhecimento importante nessa área. Entretanto, sinto que é necessário esse contato mais próximo aos produtores neste momento, já que a WAS congrega todas as áreas envolvidas na atividade”, explicou Maria Célia.

De fato, a atuação da WAS é bastante abrangente. A Sociedade reúne representantes da indústria, de governos, do setor produtivo e também pesquisadores científicos e estudantes. Além disso, organiza anualmente congressos mundiais e regionais e é responsável pela publicação de periódicos, livros e revistas voltados para a área de aquicultura, promovendo a comunicação e o desenvolvimento sustentável da atividade.

“Espero também colaborar para o desenvolvimento da aquicultura em regiões onde a atividade pode fazer a diferença, como, no caso, o continente africano. Atualmente a WAS tem quatro grandes representações regionais, que chamamos de capítulos – o dos Estados Unidos, o Coreano, o Ásia-Pacífico e o da América Latina-Caribe. A criação do capítulo Africano no próximo evento da WAS na Cidade do Cabo, a meu ver, poderá colaborar para o desenvolvimento socioeconômico da região”, disse.

Maria Célia também destacou o esforço que deve ser feito para que a WAS melhore sua representação em países-chave, como a China e o Chile, dois dos maiores produtores de peixes do mundo. A nova presidente da organização destaca que será realizado um esforço para aproximar a WAS desses países.

Ao saber do resultado da eleição pelo diretor de departamento do Instituto de Pesca, Luiz Marques da Silva Ayroza, o secretário de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim, enviou uma mensagem cumprimentando a pesquisadora pela conquista.

 

Início da carreira no Instituto de Pesca

Maria Célia Portella iniciou sua carreira no Instituto de Pesca em 1985, ainda como estagiária. Dois anos mais tarde, se tornou pesquisadora científica da instituição, cargo que ocupou até 2004, quando se transferiu para a Universidade Estadual Paulista (Unesp).

Mas, mesmo após a transferência, Maria Célia manteve contato com o IP. Entre os anos de 2004 e 2008 ela atuou como professora convidada do curso de Pós-Graduação em Aquicultura e Pesca do Instituto.

“Eu sempre digo que o Instituto de Pesca foi muito importante para minha carreira, principalmente por ter tido como minhas mentoras intelectuais as doutoras Maria Amália Basile Martins e Naoyo Yamanaka, duas pesquisadoras com sólida formação científica que lideraram a formação da primeira equipe multidisciplinar dedicada ao estudo de larvas de peixes nativos, no final dos anos 80. Desde então, venho atuando no campo da larvicultura, aprofundando os conhecimentos e formando novos profissionais nessa linha de investigação. A atuação no Comitê Editorial do Instituto de Pesca, junto aos doutores Alexandre Bastos e Elmar Cardozo, também contribuiu para o desenvolvimento de visão científica crítica desde o início de minha carreira. Em todas as oportunidades, faço questão de ressaltar o período em que atuei no IP. É uma instituição muito respeitada não só no Brasil, mas também no exterior”, concluiu.             

 

Por Leonardo Chagas

Revisão Márcia Cipolli

 

Mais informações:

Assessoria de Comunicação 
Secretaria de Agricultura e Abastecimento 
Instituto de Pesca 
(11) 3871-7588 
IP promove discussão sobre as perspectivas e desafios da pesca marinha em São Paulo